Cadeira 04 - Marcos Vila Real


Marcos Antonio Vila Real Rodrigues, nasceu em 27/09/56 em Novo Horizonte/SP, viveu sua infância e juventude na zona leste da capital de SP , hoje mora em Araraquara interior de São Paulo. Escritor, poeta e cronista. Autodidata aprendeu a ler com a ajuda de seu irmão, desde muito cedo passou a fazer poemas e crônicas. Poeta adepto da poesia livre seguindo um universo de vanguarda onde mistura literatura de cordel com histórias em quadrinhos. Participou de coletâneas e concursos literários. Tem uma pagina criada pelo seu filho Aldrin Adriel "Comunidade Dos Poetas Ocultos", onde posta vários de seus trabalhos. Membro da Academia Mundial de Cultura e Literatura onde ocupa a cadeira de n.04, tendo como patrono o poeta Waly Salomão. Email: marcosantoniovilareal@hotmail.com / drindan@hotmail.com Página "Comunidade Dos Poetas Ocultos" 


.Nem sei de onde viemos.
.Nem sei aonde vamos chegar.
.Palavras que lançamos no tempo.
.São pedras jogadas ao ar.
.Viajamos para o mesmo destino.
.Seguimos sempre a mesma direção.
.Olhando para o mesmo horizonte.
.A procura da evolução.
.Fragmentados em vários pedaços.
.Cada qual com as suas razões.
.Fechado dentro de um corpo.
.Nas utopias de suas visões.
.Solitários nos pensamentos.
.Promovendo as suas ações.
.Assim desde quando nascemos.
.Até o final da vida em gestão.
.Apenas levamos daqui.
.Os frutos do que aprendemos.
.Deixaremos para futuras gerações.
.Exemplos de como vivemos.
.No cosmo existe um universo.
.Que segue na imensidão.
.A luz do fim do túnel.
.Deve ser o início...desta evolução.
.Um Sol que emana de Deus.
.Nesta viagem...de várias estações !!! 


Nas margens do meu caderno.
.Nas letras das minhas poesias.
.Viagens nos pensamentos.
.Em minhas horas vazias.
.As horas avançam em segundos.
.No relógio infinito do tempo.
.O livro da nossa história.
.São paginas que voam ao vento.
.Viver não é um conto de fada.
.E nem uma ciência exata.
.A sombra que nos acompanha.
.Também não atravessa vidraças.
.É como segurar as rosas.
.Sem se ferir pelos espinhos.
.O cofre dos nossos segredos.
.Caminha para o futuro sozinho.
.Quem tem a chave da felicidade.
.Abrirá as suas portas sem medo.
.O sonho e a realidade.
.Caminha de mãos dadas com a vida.
.A realidade fere o coração.
.Os sonhos...curam as feridas !!! 


.Sem a sua presença.
.Nada faz mais sentido.
.Na boca um gosto de fel!
.Partida!!...sem nunca ter ido.
.Sem a sua presença.
.As flores perderam a beleza.
.Cachorro caiu na tristeza.
.Não mais late nos vãos do portão!
.Sem a sua presença.
.Pássaros migraram pro Sul.
.O céu já não é tão azul.
.Só folhas mortas no chão!
.Sem a sua presença.
.As ruas estão mais vazias.
.As tardes ficaram tão frias.
.Aranhas tecem na escuridão!
.Sem a sua presença.
.A Lua perdeu o seu brilho.
.O trem enferruja nos trilhos.
.Ervas daninhas...encobrem a estação!
.Sem a sua presença.
.Meu coração ficou com defeito.
.Não bate direito no peito.
.Já não faz mais poesias e canções !!! ]
.(Sem a sua presença) 


.Passou assim.
.Como o vento.
.Me arrastando-me pelas mãos.
.Me conduziu entre as tempestades.
.Entre as nuvens de algodão.
.Me fez passar para o outro lado do espelho.
.Me mostrou como o mundo é cruel.
.Me fez conhecer as serpentes do ninho.
.Me fez provar da cicuta e do mel.
.Me levou por estreitos caminhos.
.Mas me fez dançar com as chuvas das montanhas.
.Me fez voar como passarinho.
.Me fez a saudade que sempre me acompanha.
.E assim...fez de mim um poeta.
.Para assim conversar com as rosas e as estrelas.
.Afim de me tirar da infinita solidão.
.Fez da Lua, minha companheira.
.Passou lentamente para mim.
.Talvez passou de repente para ela.
.Falei deste tempo feliz.
.Que passou pela nossa janela !!!
.(Passou assim)


.Nem sei de onde viemos.
.Nem sei aonde vamos chegar.
.Palavras que lançamos no tempo.
.São pedras jogadas no ar.
.Viajamos para o mesmo destino.
.Seguimos sempre a mesma direção.
.Olhando para o mesmo horizonte.
.A procura da evolução.
.Fragmentados em diversos pedaços.
.Cada qual com suas razões.
.Fechado dentro de um corpo.
.Nas utopias de suas visões.
.Solitários nos pensamentos.
.Promovendo as suas ações.
.Assim desde quando nascemos.
.Até o final da vida em gestão.
.Apenas levamos daqui.
.Aquilo que aprendemos.
.Deixaremos para futuras gerações.
.Exemplos de como vivemos.
.No cosmo existe um universo.
.Que segue na imensidão.
.A luz do fim do túnel.
.Deve ser o início...desta evolução.
.Um Sol que emana de Deus.
.Nesta viagem...de várias estações !!! 


.Como chuvas nos telhados.
.As saudades são passageiras.
.Flores mortas nas varandas.
.Sobras de final de feira.
.Nas tristezas nos confortam.
.Nas alegrias nos contemplam.
.Jogando conversas fora.
.Debruçados nas soleiras.
.Noites contando histórias.
.Em torno de suas lareiras.
.Vidas que vão indo embora.
.Como janelas...que batem.
.Quando venta.
.Passarinhos que vieram de longe.
.Pousando no fio...se assentam.
.Violas desafinadas.
.Que afinando...suas cordas arrebentam.
.Rimas com poucas palavras.
.Sem a rima...sempre inventam.
.Corações que batem apressados.
.Pois o tempo faz...o ritmo.
.Sonhando...caminham juntos.
.Com a esperança...na bagagem.
.Afim de sufocarem.
.Os seus...próprios gritos.
.No caminho da viagem !!!
(Flores mortas) Autor Marcos Vila Real Rodrigues.
.Comunidade Dos Poetas Ocultos.
.Direitos autorais reservados e preservados 


.Prazer em te conhecer !!
.Seremos por um tempo nos dois.
.O que será que virá.
.Reservará o futuro depois !!
.Janelas irão se abrir.
.Portas talvez vão se fechar !!
.Seremos levados pelo destino.
.Feitos conchas que rolam...pelas ondas do Mar !!
.Tentaremos mudar nossas vidas.
.Escolhendo novos caminhos !!
.Seremos arrastados pelos ventos.
.Em meio...aos redemoinhos !!
.As vezes por inteiro felizes.
.Outras horas cortados ao meio !!
.Mais !!....o que importa é saber.
.Que os fins...justifiquem os meios !!
.Roubaras com ousadia, o meu tempo.
.Tomarei de assalto, o seu !!
.Juntos estaremos presos...um ao outro.
.Na cela que o mundo...nos deu !!!
(A cela)...Autor Marcos Vila Real Rodrigues.
.Comunidade Dos Poetas Ocultos.
.Direitos autorais reservados e preservados. 


.As flores que desceram.
.Pelo concreto...de cor violeta apagado.
.Nasceram dentro de um alçapão.
.E saíram pelo telhado.
.Se enraizaram pelas paredes.
.Invadiram a área de segurança.
.Terminando por enfeitar.
.O playground...aonde reinavam.
.As lúdicas crianças !!
.Dançaram felizes com o vento.
.Se misturaram com as areias do espaço.
.Foram visitadas...pelos beijas flores.
.Por corruíras, e pelos sanhaços.
.Atraíram as mariposas.
.As abelhas, absolveram o seu néctar.
.Se misturaram, com as ervas daninhas.
.E assim fugiram...para a floresta !!!
(Flores do alçapão) Autor Marcos Vila Real Rodrigues.
.Comunidade Dos Poetas Ocultos.
.Direitos autorais reservados e preservados. 


Diante de um certo mutismo.
.Por de trás das lentes...de um óculos.
.Entre poesias e palavras solenes.
.Histórias para serem póstumas.
.Sentidos que passam na mente.
.Vem calhar no esboço da vida.
.Segredos do coração.
.Renovam profundas feridas.
.Escondido atrás das vidraças.
.Alguém vê o tempo passar.
.As flores que nascem...nas calçadas.
.Se enveredam pelos patamares.
.Na ação de uma busca frenética.
.Se transformamos a cada segundo.
.Entre a mente e o coração.
.Existe um universo profundo !!!

(Mutismo)...Autor Marcos Vila Real Rodrigues.
.Comunidade Dos Poetas Ocultos.
Direitos autorais reservados e preservados.


.Assim foi um pouco de nós.
.Um voo de aeroplano.
.Pedras rolando em abismo.
.Festas de virada de ano.
.Acordes de uma orquestra.
.Mágica por baixo dos panos.
.Boca a espera de um beijo.
.Desejos e sonhos profanos.
.Dança de um tango atrevido.
.Pacto de casamento cigano.
.Ruas de paralelepípedos.
.Bandejas de doces Baiano.
.Asas Deltas em precipícios.
.Barcos voltando do oceano.
.Livros espalhados na mesa.
.Poema ao som de um piano.
.Bar, teatro e cinema.
.Igrejas com sinos tocando.
.Carros, motos e metro.
.Jornais...e noticias chegando.
.Assim foi um pouco de nós !!
.Destinos fora de planos.
.As rosas se abriram em botões.
.Foi as chuvas que provocaram...o encanto !!
.Telefone tocou...de repente ??
.Fui atender...pensando que fosse você.
.Pois a linha caiu....foi engano !!!
(Foi assim)...Autor Marcos Antonio Vila Real Rodrigues.
.Comunidade Dos Poetas Ocultos.
.Direitos autorais reservados e preservados. 


.Renascemos o tempo inteiro.
.Morremos a cada segundo.
.Fragmentos do nosso passado.
.Estilhaços que se vão pro futuro.
.A pedra que atirei.
.Trincou o vidro da minha janela.
.As pontes que não cruzei.
.Vendo as águas do rio.
.Não voltarem por elas.
.O bonde que perdi na penha.
.Fez o meu destino...mudar de direção.
.O coreto lá da praça.
.Eu com a minha bicicleta...sempre na contramão.
.As ruas de paralelepípedos.
.As tardes de matinês.
.Os doces que eram vendidos.
.Na venda do português.
.O verde da esperança.
.Que me inspirou esta poesia.
.A reza improvisada...o pão nosso de cada dia.
.A escola no pé do morro.
.As ruas aonde eu vivia.
.As cercas embandeiradas.
.As pipas que não subiam.
.Das Margaridas plantadas.
.No jardim de minha casa.
.Os parentes que não conheci.
.Das minhas tias improvisadas.
.Das minhas noites de Rock'N'Roll.
.Com as guitarras que não existiam.
.Sentávamos nas calçadas.
.Sonhávamos acordados...até a luz do dia.
.E assim renascemos...o tempo inteiro.
.Morremos a cada segundo.
.O que se planta em lá no passado.
.São presentes para o nosso futuro !!! 


.Espelhos na vertical da parede.
.Nos devaneios de uma visão.
.São janelas.
.Esquecidas no tempo.
.Passagens para outra dimensão!
.Mergulhei para achar a sua imagem.
.Na ânsia de um louco desejo.
.Havia sombras do passado.
.Roubando em silêncio...os seus beijos.
.O tempo parou por segundos.
.Como se fosse uma fotografia.
.Tristezas...em ver aquelas imagens.
.Enquanto eu calava...você sorria!
.Eu quis mergulhar lá no fundo.
.Para desvendar o seu coração.
.Mas na vertical...lado da realidade!
.Eu recobrei...a minha razão!
.A lente dos óculos quebrado!
.A noite que vem e devora!
.Você presa neste espelho!
.Eu aqui...pelo lado de fora!!! 


.Poucas horas eu te vejo.
.Não consigo entender.
.Já nem sei...mais quem eu sou.
.Já nem sei quem é você.
.Os ponteiros dos relógios.
.Não voltam...para dizer.
.Que o tempo já passou.
.E esquecemos de viver.
.Pois a vida é jogo rápido.
.Não há nada que fazer.
.A camisa e o botão.
.A gravata e o carnê.
.O controle não é este.
.É do vídeo... ou da TV.
.Minha boca esta amarga.
.Quero algo para beber.
.Seja um Gim...ou Cuba gelada.
.Que desperte o prazer.
.Abra o vidro de seu carro.
.E não esqueça do bebê.
.Faça as malas...vá embora.
.Hoje eu quero te esquecer.
.Vê se vai...volte depressa.
.Pois não vivo sem você !!!
(Jogo rápido) 


.Abaixo deste teto de estrela.
.Sob um escaldante.
.Sol dourado.
.Don Quixote...que eu sou!
.Destes tempos agitados.
.Vivo minhas fantasias.
.Mesmo sonhando acordado!
.Correntezas do destino.
.Flores em campos minados!
.És a minha Dulcineia.
.Eu sou o seu príncipe encantado!
.Contamos as nossas Luas.
.Feito dois gatos de telhado!
.Nossos moinhos de ventos.
.Só a poesia pode explicar.
.As serpentes semeiam a terra.
.E os satélites estão no ar!
.Minha lança é uma caneta.
.Com os meus dedos nos teclados.
.Don Quixote que eu sou.
.Nestes tempos agitados!!!
(Don Quixote que eu sou) 


.Assim foi um pouco de nós !!
.Um voo de aeroplano.
.Pedras rolando no abismo.
.Festas de virada de ano.
.Acordes de uma orquestra.
.Mágica por baixo dos panos.
.Boca, á espera de um beijo.
.Desejos e sonhos profanos.
.Dança de um tango atrevido.
.Pacto de casamento cigano.
.Ruas de paralelepípedo.
.Bandeja de doces Baiano.
.Asas Deltas em precipício.
.Barcos voltando do oceano.
.Livros espalhados na mesa.
.Poemas ao som de um piano.
.Bar, teatro...e cinema.
.Igrejas e sinos tocando.
.Carros, motos...e metros.
.Jornais...e noticias chegando.
.Assim foi um pouco de nós !!
.Destinos fora de planos.
.As rosas se abriram em botões.
.Foi as chuvas que provocaram o encanto.
.Telefone tocou de repente !!
.Fui atender...pensando que fosse você.
.Pois a linha caiu...foi engano !!!
(Pouco de nós)...Autor Marcos Vila Real Rodrigues.
.Comunidade Dos Poetas Ocultos.
.Direitos autorais reservados e preservados. 


.Gotas de orvalhos.
.Escorreram pelas vidraças.
.Os ventos as dissiparam.
.Das flores do meu jardim !!
.Desejos calados não contam.
.As viagens...em seu corpo que fiz !!
.Em todos os momentos.
.Procuro entender.
.Porque a luz do querer.
.Tomou conta de mim !!
.Desejos calados não contam.
.As rosas...que choraram ´por mim !!
.Carrego a saudade.
.Em minha bagagem.
.De uma linda viagem.
.Que nunca chega ao fim !!
.Desejos calados não contam.
.As estrelas...que sorriram pra mim !!
.Parei pra pensar, em todos os momentos.
.Que a tristeza tomou conta.
.Do meu coração !!
.Desejos calados não contam.
.Porque a Lua chorou de emoção !!
.Lembrei daquele dia.
.Que seus olhos verdes brilharam !!
.Magia ou feitiço...perdi o meu chão !!
.Desejos calados não contam.
.Se tornei escravo...da minha paixão !!!
(Desejos calados) Autor Marcos Vila Real Rodrigues.
.Comunidade Dos Poetas Ocultos.
.Direitos autorais reservados e preservados. 


.Aquela Lua.
.Que perdi contigo.
.Hoje já faz parte.
.De um projeto antigo !!
.Lua nova.
.Vem e me provas !!
.Os seus encantos.
.As suas trovas.
.Entre as estrelas.
.Em carrossel.
.És tu platônica.
.Neste meu céu.
.Hó...Lua !!
.Aquela lua.
.Que foi dos poetas.
.Hoje os astronautas.
.Lá !...andam de bicicleta !!
.Cão vadio.
.Porque tu uivas.
.Lua e os bandos.
.De divinas corujas.
.Lua doce.
.Lua de mel.
.Circulando em...leo em leo.
.És tão linda.
.Com este seu véu.
.Brilha intenso.
.O seu anel !!
.Só nós poetas...amantes pinel.
.Te amamos em desenho.
.Até no papel.
.Hó...Lua !!!
( Lua nova)...Autor Marcos Vila Real Rodrigues.
.Comunidade Dos Poetas Ocultos.
.Direitos autorais reservados e preservados. 


.Passo os dias perdidos.
.Mergulhado em meus pensamentos.
.Não deixo o meu barco partir.
.Nem quero içar velas ao vento.
.Estar preso dentro de si.
.Em um labirinto confuso.
.É como tentar emergir.
.De um oceano profundo.
.Sair em busca de uma utopia.
.De um sonho de liberdade.
.É como construir a mentira.
.Pelos caminhos da verdade.
.Por mais livre que pensamos ser.
.Jamais o seremos por inteiro.
.É como estar preso no Mar.
.Como se fossemos marinheiros.
.Sempre estaremos detidos.
.Por uma loucura qualquer.
.Quer...prisão mais deliciosa.
.Do que !!...o amor de uma mulher.
.É quando, o homem se torna livre.
.Em poesias e verdades.
.Libertando os pensamentos.
.Em busca da felicidade.
.Bem !!...ser livre na verdade.
.Não passa de uma utopia.
.Só os loucos e poetas.
.Sabem disso por inteiro.
.Seremos livre de verdade.
.Em um ato derradeiro.
.Abraçando a nossa própria imagem.
.Atravessando...para o outro lado do espelho !!!
(Ser livre)...Autor Marcos Vila Real Rodrigues.
.Comunidade Dos Poetas Ocultos.
.Direitos autorais reservados e preservados.