Cadeira 11 - Ru Medeiros


Escritora brasileira, Ru Medeiros, nasceu em 29 de setembro na cidade de Wenceslau Braz, no interior do Paraná. Mora em Curitiba desde aos dois anos de idade. Estudou na Universidade Tuiuti do Paraná. Neta da Escritora paranaense Hermínia Medeiros. Lança neste ano de 2017 "A Nudez da Alma", um livro poético que enfatiza entre outros temas a força do amor. Revela o âmago da alma e a profundeza da dor, com tanta intensidade que se vê a transparência da sensibilidade humana. 


QUEM... É VOCÊ - Ru Medeiros - 27/09/16

Quem... é você
que fez-se labirinto
incitando-me a te encontrar,
levou-me à vários cantos
até que meus olhos, enfim
excitaram.... os teus.

Quem... é você
que lentamente
cobre-me nos sonhos,
mexe comigo e faz-me acordar,
convidando-me à voar.

Quem... é você
que com este sorriso,
veste-me de luz e com suavidade
envolve-me em desejos
e leva-me a andar pelo vento,
apesar dos meus medos...

Quem... é você
que tirou-me a venda escura
que cegava-me em dor
e com este jeito intenso
de querer entender-me em segundos,
desnuda-me os segredos e conquista-me
sem que eu pudesse perceber.

Quem... é você
que atiça-me, tira-me a sanidade,
suspende-me do chão,
leva-me até aonde o vento mora,
olha-me como se fosse devorar-me
e num leve toque rouba-me a alma,
seduz-me, alicia-me, vicia-me,
deixando-me inerte...

Quem... é você
que aonde quer que vá,
meu pensamento te segue
como uma sombra,
te querendo e me perdendo
com vontade de você.

Quem... é você
que sutilmente invade-me
e deixa-me sem ar,
faz-me perder em tuas curvas
e ser só teu.

Você... Ah!!! Você é o meu sonho,
o meu mundo
que vem pintar em meus espaços
todas as sensações
e estas nos entrelaçam como teias
e com um bom vinho... brindamos a esta paixão.


O dia, em que, não resisti e senti-me preso ao teu perfume e perdi-me no beijo da tua fantasia e encantei-me com teu olhar, com a suavidade da sua mão encostando a minha e levando-me a andar por tantos caminhos, foi aí que saí da escuridão que me corroía, onde a vida já não tinha gosto, tudo era frio e as flores nem perfumavam mais o ar, os animais estavam quietos, era cinza o chão que eu pisava e havia tantos pedregulhos machucando meus pés.
A mais linda sensação.... foi ver a tempestade passar e o céu a abrir-se em paixão e eu... respirei.
A lua majestosa envolveu-me em seu brilho e o Universo abraçou-me, acariciando-me a face e senti a seiva da vida escorrer-me na alma.
Tua brisa suave deu-me paz... e minhas dores dissolveram-se e te fiz a melhor das minhas poesias.
Vi em teus olhos um novo amanhecer e ao anoitecer as estrelas vieram iluminar meus espaços se debruçando naquele canto que se fazia nosso.
Ouvi sons... melodias que vinha da natureza, sussurros de um amor nascendo e a vida colorindo os cantos da minha boca, senti teu corpo envolver-se ao meu... num encontro proibido feito feitiço.
Teu movimento insano rasgou o céu e entraste onde o meu vento mora... seduzindo-me a andar pela ventania que se fazia em mim.
Se... em outro dia, por ventura você largar minha mão e tua distância se fizer presente e se instale, por entre, as frestas da minha alma... o abandono e teus olhos deixem de me ver e teu coração congele a ponto de não mais me reconhecer... Te digo: Ficarei bem com tudo que vivi e sei que não mais voltarei aquela escuridão, pois percebi que os "momentos" constroem cada fase da minha existência que há... início, meio e fim.
Não permito-me mais viver numa solidão mórbida de mim, como se eu fosse dependente daquilo que me oferecem ou rejeitam e com isto, fazer-me perder as forças capaz de abrir o meu sorriso.
A vida segue seu curso e ela não espera passar este período de escuridão, não há pausas, não há hora extra, há sim um cronômetro que corre contra o tempo.
A sensibilidade que inflama dentro da alma... a vontade, o desejo são suficientes para que não me demore nos tantos "EUS" confusos e sem respostas que permeiam minha frágil dor, propus vestir-me de sonhos e mesmo que os pesadelos insistam em seguir-me como uma sombra, vou dar importância ao silêncio do mundo que chama-me a caminhar.
Se eu te fiz voar pelo meu vento e te alimentei com o meu amor, poderei achar o meu próprio caminho... e assim como tua brisa me fez levantar e te seguir e foi onde encontrei abrigo, assim seguirei em busca daquilo que faça-me viver, pois não gosto do cheiro da morte que sobrevoa como um urubu a minha dor.
"As escolhas que fazemos, são as que estarão lá... nos caminhos que ainda vamos percorrer e não há espaços para dúvidas... estas farão com que percamos o que conquistamos."


UM DIA - Ru Medeiros - 01/05/2017

Um dia o sol me achará
no escuro da minha solidão
e me dará a mão, encher-me -a de luz
e plantará em meu caminho... Flores
de todas as cores,
para que meus passos sigam suaves.
Ficarei então... a olhar o entardecer
até o amanhecer e ali ouvirei
os sussurros do amor e da dor.

Um dia a chuva virá
e regará as folhas secas
que se formaram
e atravessam abismos dentro de mim
ruindo minhas fantasias,
e esta... irá renovar-me trazendo
o meu sorriso que se perdeu ao vento.

Um dia a lua irá debruçar-se
em minha janela
e me fará companhia e com sua ternura
colocar-me-á em seu colo
para que eu me acalme do turbilhão
de coisas que sugam o meu prazer.

Um dia as estrelas
irão dançar à minha volta,
como os ciganos em volta da fogueira.
Seguirei,por entre estes pontos brilhantes
até descobrir os segredos do meu destino.
Elas irão iluminar meus espaços
feito candelabros e preencherão
meus vazios... com sonhos.

Um dia a nuvem... entrará
pelas frestas do meu pensamento
e em silêncio irá espiar-me
e envolver-me-á em um abraço,
aconchegando-me em sua maciez,
fazendo-me caricias
e deixar-me-á envolto em brumas
apenas para proteger-me.
das agonias que forem me ameaçar.

Um dia o vento virá
e me fará novamente respirar,
e me levará a voar
pela vastidão deste Universo
e lá de cima quero apreciar
os passos da humanidade
e ver a beleza de cada um.
O vento que vem do oriente
irá desvendar-me da cegueira,
para que eu te roube e ele nos levará
para vivermos o encanto cigano.

Um dia você aqui virá e me achará,
e se entregará a mim
assim como nos sonhos,
meu sorriso será sua entrada
meu amor... fogo
e esta intensidade estará
exatamente aqui
nos versos desta poesia, pois
o amor está aonde você está


Imagem e texto de Ru Medeiros 05/03/17

Ontem... como nos dias pregressos... deparo-me com as nuances que me fazem sorrir pela existência daquilo que penso não merecer, mas é oferecido-me sem a pretensão de algo e sim por um amor incondicional.
"Navego pelos mares do céu... a procura dos meus sonhos, das minhas fantasias, dos imensuráveis mistérios que pairam e fazem-me parar e a paisagem daquilo que me é permitido ver... alimenta meu olhos, incita meu pulsar e tudo se transborda à minha frente e embebeda minha alma deixando-me, por vezes, torpe diante da grandeza que mesmo sendo bela... faz-me sentir medo deste infinito que se apresenta, do que não consigo distinguir, daquilo que mexe com todos os meus sentidos e que ao mesmo tempo dá sentido a minha vida, mesmo sentindo ocultar-se dentro de mim.
Sob as asas deste Universo aconchego-me e este aspira-me a minha carne até chegar aos ossos do infinito que se faz em mim. Cuido para que meus olhos não se percam nesta perpétua Tsarah a qual pertenço e não queiram mais voltar.
Entorpeço-me nesta imensidão que vem de fora para dentro do meu ser... e meus intermináveis questionamentos acabam e minha mente aquieta-se e minha alma respira calmamente... quando deparo-me com a amplidão daquilo que me foi entregue e traz-me toda a energia que preciso e fica exposto diante dos meus olhos, presenteando-me por direito de ser filho do Príncipe da paz."


Estas lágrimas... só ofuscam a luz que ainda há...

ESTAS LÁGRIMAS - Ru Medeiros 21/10/16

Estas lágrimas
ficam por entre meus poros tentando reprimir a dor
que acaba com um grito embargado num silêncio acústico
que atravessa a alma, vibrando até os tendões.

Estas lágrimas
Esbarram-se com um caminho que meus olhos
marejados nada veem, nada sentem,
nada encontram, pois meus pés recuam a cada soluço.

Estas lágrimas
que caem e molham meu rosto, tentam limpar cada corte,
cada fenda feita por um amor que se esvai,
deixando-me rastros molhados marcados por sobras...
"Se sobrar um espaço, se sobrar um tempo,
se sobrar um dia... talvez te encaixe"

Estas lágrimas
falam de saudade, da falta, de uma tristeza
e de momentos... em que eu tinha tua alma
dentro da minha e o sorriso refletia nas estrelas.
Nesta saudade sinto teu cheiro,
onde tua alma já não pousa mais,
é um tempo que se esperou, não encerrou,
apenas distanciou.

Estas lágrimas
levam-me a um estágio mórbido
quase proibido à beira de um abismo... ilhando-me
e cada gota que cai... desenha a essência do que vivi,
que se juntou e dissipou-se com a mesma
velocidade do vento que vem do oriente
e mostra-me uma fragilidade...
de não conseguir segurar esta dor.

Estas lágrimas
sufocam-me e libertam-me, são elas...
partes de um pacto cigano,
que se desfez por ausências.
Instalou-se esta solidão em mim
e sigo num longo silêncio,
respeitando a dor deste amor.

E com meia taça de vinho, em meio a solidão... percebo
que tudo vai passar... a dor, a saudade, o vazio, pois
estas lágrimas... só ofuscam a luz que ainda há...


UM DIA... - Ru Medeiros 04/09/16

Um dia o sol me achará
no escuro da minha solidão
e me dará a mão, encher-me -a de luz
e plantará em meu caminho... Flores
de todas as cores,
para que meus passos sigam suaves.
Ficarei então... a olhar o entardecer
até o amanhecer e ali ouvirei
os sussurros do amor e da dor.

Um dia a chuva virá
e regará as folhas secas
que se formaram
e atravessam abismos dentro de mim
ruindo minhas fantasias,
e esta... irá renovar-me trazendo
o meu sorriso que se perdeu ao vento.

Um dia a lua irá debruçar-se
em minha janela
e me fará companhia e com sua ternura
colocar-me-á em seu colo
para que eu me acalme do turbilhão
de coisas que sugam o meu prazer.

Um dia as estrelas
irão dançar à minha volta,
como os ciganos em volta da fogueira.
Seguirei,por entre estes pontos brilhantes
até descobrir os segredos do meu destino.
Elas irão iluminar meus espaços
feito candelabros e preencherão
meus vazios... com sonhos.

Um dia a nuvem... entrará
pelas frestas do meu pensamento
e em silêncio irá espiar-me
e envolver-me-á em um abraço,
aconchegando-me em sua maciez,
fazendo-me caricias
e deixar-me-á envolto em brumas
apenas para proteger-me.
das agonias que forem me ameaçar.

Um dia o vento virá
e me fará novamente respirar,
e me levará a voar
pela vastidão deste Universo
e lá de cima quero apreciar
os passos da humanidade
e ver a beleza de cada um.
O vento que vem do oriente
irá desvendar-me da cegueira,
para que eu te roube e ele nos levará
para vivermos o encanto cigano.

Um dia você aqui virá e me achará,
e se entregará a mim
assim como nos sonhos,
meu sorriso será sua entrada
meu amor... fogo
e esta intensidade estará
exatamente aqui
nos versos desta poesia, pois
o amor está aonde você está.


O VENTO... CIGANO - Ru Medeiros - 25/08/17

Sou o vento
que alimenta tua alma e te faz respirar,
te levanta e te faz caminhar,
seguirás com passos seguros
e sentirás o sangue ferver em tua veia,
ouvirás, por entre, os raios... a minha voz,
e voaras pelos sussurros do vento.

Sou o vento
que limpa tuas lágrimas,
te acaricia, te acalma, te faz descansar
e depois entra em teus sonhos... em silêncio
e veste-se com a fantasia da paz,
fazendo-te flutuar por este céu rosado.

Sou o vento que te vigia,
e te acorda para que olhes a lua,
e na imensidão da noite te traz as estrelas...
para que caminhes entre elas
e veja tua alma como é bela.

Sou o vento
que sussurra em teu ouvido ecos do amor
e lhe tira com um sopro... a dor,
entregando-lhe a arma mágica,
para que lutes contra aqueles que te oprimem
e sugam tuas energias feito vampiros.
Guerreira menina cigana.... levante tua espada, pois no teu controle está... a tempestade
que se faça a justiça
e entre a pureza em teus espaços.

Sou o vento
que acende a fogueira e te faz rodopiar por ela,
esvoaçando teu vestido vermelho rodado
adornado em joias
e que este teu dançar inebriante
estremeça o céu... neste instante
e as chamas que entram em tua alma cigana
faça-te grande, mesmo que o mundo
te deixe pequena.

Sou o vento que se fez sombra
para caminhar contigo, não tenhas medo, pois
os obstáculos serão
como poeiras em teu caminho.
Sou teu vento que te refugia do mal
para que teus passos brilhem
a cada canto por onde passar.

Sou o vento
que faz do teu tempo...
insanos momentos de liberdade
e em meio a este suave movimento
dançarei contigo pela eternidade.

Sou o vento cigano...


SOBRE A PAIXÃO - Ru Medeiros 17/04/ 2017

"Os olhos observam cada movimento... e o movimento percebe... e este provoca o pensamento... e o pensamento voa ... e este voo não tem limites ao sonhar... e o sonho instiga a fantasia que vira magia e esta nos encontra direto nos olhos vertendo sedução... e a sedução é a corrente que prende os olhos e aí se perde a razão, a noção e mostra-se a intenção do desejo transformando-se em paixão. Qual o segredo deste sentimento que intriga-nos e arrebata-nos contra todas as imperfeições que possa existir no ser humano, onde só se vê beleza e o sorriso torna-se uma marca. A sensação que tenho é que o mundo muda a nossa volta e nos assusta e nos encanta. Somos tragados para um espaço restrito a um único olhar e ali acredito naquilo que chamo de felicidade que resume-se a cada momento deste movimento."


AH... POESIA - Ru Medeiros - 28/03/17

Ah... Poesia
que suspira em mim
e encanta-me, emociona-me, suga-me o ar
e a razão.

Ah... Poesia
que lateja a sentir-me os movimentos, em meio,
a um mundo tão secreto, tão imenso
que há no profundo da alma,
ao traçar os contornos do que penso.

Ah... Poesia
que incita-me a imaginar
num voo quântico nas curvas do vento,
e toco nos candeeiros de estrelas
que se estilhaçam em meus cantos,
criando uma mágica emoção
ao tirar-me em êxtase deste efêmero chão.

Ah... Poesia
que faz-me colorir o céu
moldando as nuvens feitas de algodão
e estas, vigiam-me com olhar espião
até rasgar-me a alma tirando-me a dor
para então mergulhar-me no amor.

Ah... Poesia
envolvi-me com aquele crepúsculo
que lentamente entranhou-se em mim
e desprendeu-se num choro embargado
espalhando-se numa estranha
e insana invasão de vontades e sedução,
inspirando-me a desenha-lo em versos
que escorriam em minhas mãos
como as chamas do fogo de uma paixão.

Ah... Poesia
tua fantasia... violentou-me em desejos,
alucinou-me​ aos sonhos mais esdrúxulos...
tão louco e por pouco não aliciou-me
a unir-se ao vento que vem do oriente
o "vento cigano", pois
este... seduziu-me e levou-me a lua
que naquele momento vertia gotas prateadas,
sobre as janelas encantadas.

Ah... Poesia
até o vento se mostra frágil... sensível
e a lua, ah... esta me olha, me ouve
com sentimento, por isto, converso com ela
e não duvide do que tu poesia... é capaz
de inventar, tecer e tramar.

Ainda sinto o germinar das palavras
pulsando, tocando e incitando-me a alma
ao infinito que há em mim.


SÓ PRA TE LEMBRAR

Só pra te lembrar
foi em teus braços que pousei
desde a primeira vez
foi em teu corpo que me senti estremecer
e amanheceu e anoiteceu
e agradeci.

Só pra te lembrar
tivemos sonhos, tivemos fantasias
tivemos momentos, tivemos um tempo
tivemos duvidas, tivemos certezas
e nas incertezas... tivemos nós

Só pra te lembrar
pelos caminhos o qual passava
fui pegando rastros que você deixava
e um a um fui guardando
e assim fui te seguindo.
.

Só pra te lembrar
foi importante, foi intenso
foi tenso, fique perdido no imenso
daquilo que pensei ter e de repente
não mais ter.

Só pra te lembrar
foi em meio a tantos espinhos
foi meio a tantos pequeninhos
e grandes sonhos
que encontrei você
se enroscando, gemendo, sofrendo
te abracei e nunca mais te larguei.

Só pra te lembrar
de teus olhos fiz o mar
de tua boca fiz amar
de tuas mãos o luar
até te levei a voar.

Só pra te lembrar
um amor não sobrevive a tantos intempéries
não sobrevive a lugares sombrios
Há campos, em vez de flores... dores
não sobrevive à tempestades
mas o nosso sobreviveu.

Só pra te lembrar
que mesmo andando pelas nuvens
que mesmo colhendo as estrelas
que mesmo subindo as montanhas
jamais vou te esquecer
e a eternidade é logo ali
e estou chegando
e não vou te deixar esquecer
só pra te lembrar...


DESEJO À TODOS VOCÊS, QUE HOJE... SONHEM ASSIM

QUEM... É VOCÊ - Ru Medeiros - 27/09/16

Quem... é você
que fez-se labirinto
incitando-me a te encontrar,
levou-me à vários cantos
até que meus olhos, enfim
excitaram.... os teus.

Quem... é você
que lentamente
cobre-me nos sonhos,
mexe comigo e faz-me acordar,
convidando-me à voar.

Quem... é você
que com este sorriso,
veste-me de luz e com suavidade
envolve-me em desejos
e leva-me a andar pelo vento,
apesar dos meus medos...

Quem... é você
que tirou-me a venda escura
que cegava-me em dor
e com este jeito intenso
de querer entender-me em segundos,
desnuda-me os segredos e conquista-me
sem que eu pudesse perceber.

Quem... é você
que atiça-me, tira-me a sanidade,
suspende-me do chão,
leva-me até aonde o vento mora,
olha-me como se fosse devorar-me
e num leve toque rouba-me a alma,
seduz-me, alicia-me, vicia-me,
deixando-me inerte...

Quem... é você
que aonde quer que vá,
meu pensamento te segue
como uma sombra,
te querendo e me perdendo
com vontade de você.

Quem... é você
que sutilmente invade-me
e deixa-me sem ar,
faz-me perder em tuas curvas
e ser só teu.

Você... Ah!!! Você é o meu sonho,
o meu mundo
que vem pintar em meus espaços
todas as sensações
e estas nos entrelaçam como teias
e com um bom vinho... brindamos a esta paixão.


NOITES... ACORDADO - Ru Medeiros 31/08/16

Passo noites... acordado
andando, por entre, as estrelas
na esperança de te ver.
Meu passos te seguem,
e, em meio a candelabros
telas se projetam em mim
para que eu desenhe...
o mundo mágico que vejo.
Traço então, um futuro que sinto
e que estão em teus olhos,
é a pintura traduzindo estrelas... em nós.

Passo noites... acordado
buscando a lua... mágica lua
que me assusta com seus mistérios
e que, por vezes,
tranca-se numa escuridão,
por entre as nuvens
que a encobre em noites de frio...
Em tempo de lua cheia...
revela-me segredos
e com sua magia
alicia-me aos encantos
de um amor cigano
trazendo-me o sorriso
de quem tanto desejei.

Passo noites... acordado
olhando para o infinito
e nesta vastidão que se apresenta,
peço ao vento que vem do oriente...
o vento cigano
que me alivie, desta espera descabida
que agoniza-me.
Esta inquietude permanece até..
que de repente se aquieta... ao ouvir
um caminhar que se aproxima
leve e suave e percebo...
que o sonho cuidou
em trazer-me o amor
que eu sempre quis.

Somos agora... eu e você
um dia tudo pode acabar...
um dia pode não mais existir.

Então, que a sanidade me
abandone e venha
a intensidade da loucura de querer viver
antes que tudo se vá
e passe a morrer.

A coragem que tenho
é a de não desistir
de que minha poesia
toque-lhe a alma
e o espaço que antes existia dor
que se preencha com este amor, pois
o sonho nunca acaba, apenas... recomeça.