Cadeira 12 - Lúcia Santanna Santanna



Lúcia Margarida de Santanna é natural da cidade de Betim ,Minas Gerais, porém ... desde criança ,vive e reside em Belo Horizonte, Capital, onde realizei meus estudos. 

Filha de José de Santanna Trigueiro e Maria da Conceição de Santanna , (Falecidos )

Sou Funcionária pública Federal do Ministério do Seguro Social.

Tenho como hobby viagens, já conheço 38 países e quase todo Brasil.

Adoro ler e teatro.

Fiz curso de História das Artes, curso este realizado na Europa junto com alunas da Escola de Belas Artes da UFMG.

Fui membro efetivo da AVL, Academia Virtual de Letras e hoje, faço parte do , Recanto das Letras.

Tenho um livro de poemas e poesias publicado " OS SONS DE MINH'ALMA"



<< A CEGUEIRA DE UMA ALMA >>

Ver e não enxergar

olhar e não visualizar, não absorver...
estar cega mesmo enxergando
enxergar e não conseguir ver !

Coração obstruído pela cegueira
da alma , vendada , estagnada ...
de um sentir enganoso equivocado
de uma emoção exagerada!

A ilusão ocupando o bom senso,
o amor próprio sendo ignorado
a cegueira se deixando possuir
na fantasia de um sentir exacerbado!

Até que a venda é enxergada
descoberta, visualizada , rejeitada
pelos olhos...pela alma ...pela emoção!

Até que a vida é valorizada , amada ..
e o amor próprio respeitado ,elevado,
a venda é retirada ...enxergada!

Enfim...a vitória da verdade emanada!
Valores e ego valorizados, restaurados
e a cegueira banida ... rejeitada !


<< INDEPENDENTE DO QUERER >>

Ás vezes sinto uma imensa ternura

um sentir assim como a brisa do mar
algo inexplicável como uma obra de Picasso...
ou uma carícia que nasce e nos leva a amar!

É a alegria que brota quando se ama!
É um sentir independente do querer ,sem intenção
nasce na alma e se espalha pelo sorriso, pelos olhos...
e faz morada por inteiro na emoção!

É uma incrível ternura em mim!
Assim como quando miramos uma criança sorrindo, brincando...
ou casais enamorados felizes se amando!

É uma sensação de prazer de bem estar...
leve ... suave ...como uma pluma que dança no ar!
Uma ternura cheia de doçura que só a alma sabe explicar!

Direitos reservados;

<<TERNURA IMENSA >>

Ás vezes sinto uma ternura imensa em mim

um sentir gostoso ,assim como a brisa do mar...
é algo inexplicável como uma obra de Picasso
ou, uma carícia que nasce e nos leva a amar!

É uma alegria que brota quando se ama!
É um sentir independente do querer ,sem intensão...
nasce na alma e se espalha pelo sorriso pelos olhos,
faz morada por algum tempo na emoção!

É uma incrível ternura em mim!
Assim quando miramos uma criança sorrindo...brincando,
ou casais enamorados felizes se amando!

É uma sensação de prazer de bem estar...
leve ... suave ...como uma pluma que dança no ar!
Uma ternura cheia de doçura que só a alma sabe explicar!

Direitos reservados 29/10/2017


<< O SILÊNCIO DO AMOR >>

Este silêncio que não cala

esta voz que se ocultou...
esta saudade que não passa...
este amor que acabou !

A luz permanece apagada,
a lua não voltou a iluminar ...
apagou-se o brilho das estrelas,
surgiu a escuridão em seu lugar!

O tempo se fez nublado...
nuvens repentinas encobriram o luar,
e a chuva se pôs a chorar!

No oculto de minh'alma
a dor se deixou explorar ..
e o silêncio do amor ,tomou o seu lugar!

Direitos reservados..