Cadeira 13 - Djalma Pinheiro


Djalma Pinheiro. Nascido na cidade do Rio de Janeiro - RJ - Brasil Escritor, poeta, frasista, contista e romancista Têm quatro livros publicados, todos em e-boocks que três estão à disposição em seu site: www.djalmapinheiro.recantodasletras.com.br, site que proporcionou ele ser lido em mais de noventa países e um em: https://mscamp.wordpress.com/?s=djalma+pinheiro, Fundador da Academia Mundial de Cultura e Literatura - AMCL Participou de inúmeras Antologias à convite Centenas de trabalhos publicados em seu site, grupos, paginas e sites da NET. Blog: https://poesiaepapodebotequim.blogspot.com.br/ - Dezenas de frases registradas. Fundador da comunidade https://www.facebook.com/Papo-de-Botequimcom-poesias-MPB-478793652292942/ e da pagina Mesa de Bar com Poesias: https://www.facebook.com/groups/169700586705163/.



Perdido...

Ando sempre a procura de algo ou alguém
Mais como um barco à deriva
Nada vejo no horizonte
Ai fico quase que perdido
Só me restando ficar a pensar.

Pensando em tempos outrora
Perdido pela vida
Mundana
Boemia
Insânia.

Ah, como queria sim
Voltar a tempos passados
Tentar resgatar anos perdidos
Que era amado e amava.

Ah, como queria sim
Voltar a ter você em meus braços
Sentir o calor de seu corpo junto ao meu
Ouvir seus gemidos em nossas notes de amor
Beijar seu lábios carnudos em seu batom escarlate.

Que pena
Sonhos perdidos
Só me resta andar a procura
Hoje sei que é a procura de você....


"Na loucura, muitas vezes vivemos o mundo que realmente que queríamos viver"
Djalma Pinheiro.

Vida mutante...

Em meu canto que chamo de minha caverna
Fico a pensar em minha vida mutante
Acho ate que tento viver a vida de meus personagens
E elas serem reais.

Muitas vezes do nada me vejo como um andarilho
Que num andar sem rumo
Vive a procura de um amor verdadeiro.

Já por diversas vezes perambulei pelas noites boemias
Pensando ser um poeta
A procura de sua musa
Não a achando
E assim volto a minha solidão.

Noutras fico a imaginar
Estar com minha amada
Passeando de mãos dadas
Ouvindo em noites lascivas de um amar intenso
Suas juras de amor ao meu ouvido
Mesclado com seus gemidos de prazer extremo.

Mas esta vida mutante
Fico com a realidade
De minha timidez
Que me impede de me declarar
E simplesmente dizer
Eu amo você...


Nossos dias...

O ato de amar mesmo que seja momentâneo é como viver um eterno sonho......
Djalma Pinheiro.

Dias em que me somos surpreendidos por pessoas e casos
Alguns bem prazerosos e outros nem tanto
Ou quase que nos aborrecendo
Mas bem ou mal
E a vida sem eu curso natural
Com seus percalços ou alegrias
Onde nos sentimos vivos
E isso e bom.

Acordo e me deparo com seus dizeres aqui no virtual
Seu bom dia acompanhado de uma bela flor me enche de alegria
Seu desejo de me ver-me da animo para viver
Mesmo que a distância nos separe
Seus beijos enviados enchem meu coração de amor
Cerro meus olhos e neles viajo
Imagino-me estar ai ao seu lado
Onde entre beijos, abraços e caricias
Sinto-me como que viajando em nuvens.

Mas volto à realidade de meu dia
Com seus percalços e alegrias
E só uma realidade
Mesmo que só possa ser virtual
Quero sim, ter sempre estas suas mensagens pela manhã
Quero sim em meus dias
Acordar e viajar
Pensando em você...

Djalma Pinheiro


Minhas correntes...

A pior das amarras é aquela que nos impede de lutar contra os que tentam nos calar....
Djalma Pinheiro.

Vi-me acorrentado
Correntes que me prendiam, afastando-me de meu povo
Minha terra, minha gente, minha família.

Em navio negreiro, junto aos meus irmãos atravessei o oceano
Acorrentado cheguei à Bahia, vendido a senhores brancos
Trabalhei em lavouras de cacau, de café e muitas outras
Fui açoitado, humilhado, escorraçado
Mas não perdi minha razão, nem meu caráter.

Hoje de algum lugar, continuo a protestar, como nos tempos da senzala
Pois ainda me sinto acorrentado, humilhado e escorraçado
Não por grilhões
Não por mercadores de escravos
Não por senhores brancos, pois os de hoje são meus irmãos
Que a maioria por nós briga e protesta.

Mas me sinto assim, acorrentado, humilhado e escorraçado
Pela ignorância de alguns
Pelo preconceito de tantos ignorantes, pela fome, por políticas
Que teimam em fazer de mim um eterno ser diferente
Só pela cor de minha pele.

Eu sou este, aquele que esta ao seu lado
Na doença, nas catástrofes, nas guerras lutando ao seu lado
Mas também principalmente nas horas de alegria e paz.

Eu sou só seu irmão de cor diferente que reza, ora
E pede ao AMIGO MAIOR por você
Meu nome pode ser João Baiano,
José, Paulo, Jesus ou qualquer o nome que quiser
Hoje é dia de libertação e de levantar a voz contra os ignorantes
Que teimam em não aceitar a nossa liberdade
Liberdade de pensamento, de religião, de cor
Hoje é dia de quebrar todas as correntes que nos prendem
Pois hoje e todos os dias é dia de LIBERDADE...

Djalma Pinheiro


Seus desejos...

Temos guardado em nosso interior sentimentos inconfessáveis que só temos a coragem de expor eles para o nosso próprio eu.....
Djalma Pinheiro.

Seus desejos me alucinam
Quando os expõem
Fico atônito ao tentar decifrar eles
Muitas vezes neles fico a viajar
Ora ame imaginando em seus braços
Sentindo suas caricias em meu rosto
O calor de seus beijos
Onde adentro sua alma
Fico ouvindo seus altos gemidos
Ao me imaginar fazendo amor com você
Gozo o seu orgasmo
Sinto-me o, mas viril dos homens.

Mas são só imaginações
De um solitário
Que perambula pelas noites
Boemias e sombrias
Onde numa delas na mesa ao lado do bar
Escutei furtivamente
Quando falaste ao seu acompanhante
Seus mas loucos e lascivos desejos
E me pus a neles viajar
Ah, mas são só desejos....

Djalma Pinheiro


Sonhos enamorados...

Namorar que gostoso, passear de mãos dadas, caricias e beijos mil é como estar viajando com sua amada pela nuvens...
Djalma Pinheiro.

Enamorado, amando, sonhando...
Assim me sinto
Quando a vejo
Quando nos falamos
Mesmo que virtualmente
Ah, haja coração
Para aguentar esta emoção
Que sinto ao estar com você.

É indescritível meus sentimentos
É tipo assim quando nos f alamos
Vezes me vendo como criança
Acariciado e protegido pela mãe
Vezes como o adolescente sapeca
Que cheio de tesão, desejo, excitação
Corre ao banheiro ao ver seu corpo.

Mas gostoso mesmo é quando me vejo
Sonhando passeando ao s eu lado de mãos dadas
Pela orla, onde só falamos
Em amor e a nos amar.

Ah, e assim que me sinto ao sonhar...

Djalma Pinheiro


Amor pelo trio...

O escritor leva ao próximo com seus escritos um balsamo para os enfermos da alma, a alegria ao coração dos amados e a doçura a uma criança.....
Djalma Pinheiro.

Uma rosa, uma criança e uma mulher
Nada mais singelo que este trio
Vivemos assim em êxtase ao lado deste trio.

Uma rosa para uns elas não falam
Para outros sim
Para alguns sussurram amores
Para outros ela grita
Mas todas, todas mesmo
Exalam o perfume
Que inebriam a todos.

Nossa que paz tem uma criança
Seu olhar nos passa confiança
Seu carinho nos da o amor mais puro
Ate suas zangas em suas horas de manhas
Vem e acalanta o nosso coração
É um sonho de paz
Soltar a criança que em nós habita.

Ah, mas a mulher, esta tem sim é só mulher
É abençoada pelos Deuses
Cantada em verso e prosa
Tudo a ver com uma rosa e a uma criança...

Seus espinhos ao ser subjugada
Ferem nossa alma.

Mas o perfume da rosa
Quando ama inebria nossa alma
Seus carinhos até se tornam infantis
Ao estar feliz com seu amado.

Mas e só uma mulher
Que nos proporciona
Prazer ao estar ao seu lado
Em um simples passeio de mãos dadas
Seus beijos tem o sabor da, mas doce das frutas
Que nos deixam viajando sobre nuvens
Seus gritinhos nas noites de amor lascivo
Soam como uma sinfonia.

É isso a mulher
Embebeda-me como o perfume de uma rosa
Que me da paz como a um sorriso de criança

É assim você...

Djalma Pinheiro


Meus sonhos no Olimpo...

Tem sonhos que ao acordar ficamos em tamanho êxtase, que em nosso interior continuamos a sonhar...
Djalma Pinheiro.

É ela que vinha em meus sonhos
Sonhava estar no Olimpo
Ao lado de Ares, que narrava suas guerras travadas
Hades estava exultante com os mortos destas batalhas
Posídon retrucava , afirmando que seus mares eram mais importantes
Que as guerras travadas por Ares
Onde Apolo irradiava a todos com seus raios solares
Todos nós sentados em volta de Zeus.

Eis que me passa a minha frente a mais linda das lindas
Que escoltada por Hera
Desfilava toda a sua beleza e sensualidade
Nossa ao ter a sua visão
Esquecia a todos os Deuses que me rodeavam.

Ah, Afrodite, quanto encanto
Que até uma simples taça de vinho
Oferecida a ela por Dionisio
Nas grandes e belas festas por ele produzidas
Me deixava enciumado.

Nossa como viajava nestes sonhos
Era tanto êxtase
Que me reacusava a acordar
Eram assim nestes sonhos
Com a visão de Afrodite
Que ao olhar para o lado e minha cama
Via a mais linda das Deusas
Via você....

Djalma Pinheiro