Cadeira 22 - Edvaldo Rosa // Eudália Martins


Edvaldo Rosa, 51 anos, casado, cinco filhos, vários sonhos, um especial: A literatura!Comecei a publicar minhas poesias em jornais e revistas de circulação interna nas empresas que trabalhei destacando-se:
- Jornal HZS ( hospital Zona sul) em 1983 n° 02, 03
- NV (Noticias Villares) em 1986 n° 15;
Revistas de poesias:
- O Berro ( Grupo AJA - Academia Juvenil de Artes, da biblioteca Monteiro Lobato ) em 1983/1984 n° 8,10, 13,
Jornal de Poesias:
- O Arte_Fato ano 2 n° 9 setembro de 2005 Editado pelo poeta Santiago Dias.
Tenho participado de antologias poéticas, destacando-se:
- Escritores Brasileiros Editora Crisalis RJ 1985- Escritores Brasileiros II Editora Crisalis RJ 1985- Asas e Vôos Editora Guemanisse RJ 2006- 2° antologia poética da AVBL - Editora AVBL - 2006- Antologia Escritores Brasileiros e Autores em Língua Portuguesa - RB Editora - 6° Edição 2008
- Antologia Delicatta III - Poesias, Contos, Crônicas, Coordenação de Luiza Beatriz Moreira - Scortecci Editora - 2008 - SP - SP
- Antologia literária Internacional - Dois mil e Esperança
1° Edição - 2009 - Curitiba - PR - Abrali Edições- Antologia Literária Internacional - Pangeia, A Literatura unindo continentes - 2009 - Curitiba - PR - Abrali Edições
Projeto Literário Delicatta VI - Editora Delicatta - 2011 SP - SP
Melhores da Poesia Brasileira - Organizada por Monica Yvonne Rosenberg e Jane Rossi - All Print Editora - 2012 - SP - SP
- Antologia You and Y, organizada por Roberto Ferrari, São Paulo, Editora Delicatta, 2012
- Antologia Destaques na Poesia em 2012, organizada por Coluna Destaque Raimundo Nonato, São Paulo, Editora All Print, 2012
Livros solo:
Caminhando com as Borboletas - Edição do autor, Edições AVBL - 2009 - Bauru - SP
Marcas no Coração - Editora Delicatta - 2012 - SP -SP Com lançamento previsto para a 22° Bienal de São Paulo em agosto de 2012.
Prefácios de livros de poemas, destacando-se:
Murmúrios de um coração apaixonado - Eudália Martins - Editora Beco dos Poetas - 2011 - SP - SP
Sargaço - Raimundo Palmeira - Editora Delicatta - 2011 - SP - SP 
Ventos da Paixão - Roberto Ferrari, " O Poeta do Amor", Editora Delicatta - 2012 - SP - SP
Eu sou poeta, escritor e participo de várias atividades poéticas, tanto na net quanto fora dela!


AUTO RETRATO...

De ponto em ponto, rabisco e linha,
Sou vida! E a vida se faz minha!
Reticente, vou passo a passo!
Interrogando, vou crendo, após um momento descrente!
Exclamando a cada instante de alegria...
E outros chorando escancaradamente!
Um final, um ponto e basta, esta longe de meu pensamento...
Meu futuro?
Serão vários!
Sonho e persigo o sonho sonhado...
Outro ponto, de quem aumenta o conto,
Da minha história mal começada...
Nas folhas pálidas da vida, da minha vida,
De ponto em ponto, rabisco e linha me são tão cara!

Edvaldo Rosa


O QUE NOS COMPLETA!

Boca seca,
secos lábios
desejos, inteiros,
inalcançados...
Vagos pensamentos...
Solidão e medo!
Meio homem
meia alma!
Meio tudo, meio nada...
A parte do que nos falta,
insosso sabor de fruta,
Escorrendo entre a boca, dente, e lábios...
Loucura!
A parte que nos falta, os outros,
é no espelho!
É onde nos vemos inteiros
Por vezes mais belos,
Outras melhores,
Noutras, plenos!

Edvaldo Rosa...


VIDA A DOIS...

É nós vivemos rindo de tudo,
Nossos olhos apreendendo cada detalhe em nós...
Em nossos gestos incontidos,
Naqueles que deixamos ao relento...
Aqueles que soltamos ao vento!
E aqueles que guardamos a sete chaves no intimo... Sós!
E choramos por tudo:
Pelos beijos mal dados, pelos beijos roubados,
Pelos então só desejados, beijos deixados para depois...
E pelas dores no peito,
Pela vida que vivemos sem ter jeito,
Por não ser como desejávamos a dois!
E caminhamos sem lenço e sem documento,
Aproveitando cada momento,
Sem se preocupar com o que virá após...
- Vivendo vamos indo sem medo e sem culpa...
A vida é tudo isso, e muito mais: Pura loucura!
Pois é o que já foi vivido,
É o que teremos que viver depois!

Edvaldo Rosa


SAUDADES DE VOCÊ!

Vim dizer-te que estou com saudades...
- Imensa saudade, intensa saudade.
Que estou tão só de você!...
Vim falar-te para escutar-te um pouco,
Desejoso de que tuas palavras doces,
Rompa em mim, tanto silêncio,
- Façam leves, minhas pesadas correntes!
Sentir teu olhar pairando sobre mim,
Impregnando-se em meu ser...
Para sentir-me vivo e feliz!
Vim, mas em verdade, nunca estive ausente...
Estiveste sempre em mim,
Em meus pensamentos,
Em meus sentimentos,
Em meus sentidos enquanto sentidos carentes,
Procurando-se plenos em você!

Edvaldo Rosa...


NA PONTA DA CANETA...

A pena deita na folha as minhas dores,
De amores, incompletos, de outros desfeitos,
Doutros ainda por vim...
A pena sulca a pele da folha,
E planta nestes sulcos que sangram, as sementes de meus sonhos,
E de pessoas outras, desconhecidas, estranhas,
Que passando por mim fazem das tripas coração,
A cada instante de vida,
Como a retirar a vida de suas próprias entranhas...
A pena tingindo as minhas lágrimas,
Engana quem as leem...
Pois a pena dando cores às palavras,
Esconde o homem que as escrevem,
E mostra o poeta que as veem...

Edvaldo Rosa


CORAÇÃO SENSIVEL...

Temo pelo meu coração...
Ama sem medo, lutando todo o tempo,
Contra a solidão!
Temo pelo meu coração,
Pelo que sente,
Pelo presente,
Pelos pensamentos,
Pelas emoções!
Tremo ao pensar, que ele seja abrigo,
Para quem e tudo
Que nem queira se abrigar!
Existe em meu coração algo de sensível,
Que faz sorrir, que o faz chorar!
A alma de meu coração
Caminha comigo,
E um coração sensível,
Querendo outro, de igual sentido,
Encontrar!
Edvaldo Rosa
Texto do livro...Marcas no Coração


UM SEU SORRISO!

Para se somar a luz do dia... E fazê-lo mais belo,
Um seu sorriso é uma luz que se abre!
E nas noites de meus dias, para fazê-las mais claras...
Eu o andarilho que percorre estradas, tão solitário!
Capitão que lança barcos ao mar... Rompendo vaga após vaga!
- Sem saber se e quando vai voltar!
Para os amantes que sonham sob o luar e as estrelas,
Como eu que divago, posto que vivo a sonhar!
Alento aqueles que insones procuram além do sono,
A realização de seus desejos de amor...
E na satisfação de ser amados,
A completude de amar!
Seu sorriso é presença sem corpo,
É sonho em que meus sentidos naufragam,
É esperança de se achar no caminho um abrigo,
Porto seguro, para um capitão cansado,
De tanto barco sobre tanto mar!

Edvaldo Rosa...


Para se somar a luz do dia... E fazê-lo mais belo,
Um seu sorriso é uma luz que se abre!
E nas noites de meus dias, para fazê-las mais claras...
Eu o andarilho que percorre estradas, tão solitário!
Capitão que lança barcos ao mar... Rompendo vaga após vaga!
- Sem saber se e quando vai voltar!
Para os amantes que sonham sob o luar e as estrelas,
Como eu que divago, posto que vivo a sonhar!
Alento aqueles que insones procuram além do sono,
A realização de seus desejos de amor...
E na satisfação de ser amados,
A completude de amar!
Seu sorriso é presença sem corpo,
É sonho em que meus sentidos naufragam,
É esperança de se achar no caminho um abrigo,
Porto seguro, para um capitão cansado,
De tanto barco sobre tanto mar!

Edvaldo Rosa...


Mensagem para o dia das mães... *

Hoje não consigo calar o que grita o meu coração... E vai assim, aos poucos, formando-se esta mensagem...
Que este Dia das Mães seja belo, seja pleno, por mais que acinzentado, chuvoso, frio, com ares solitários, e com um quê de lágrimas que se encaminham para o chão, aqui em São Paulo!
Posto que, o que se exalta hoje, é uma Dádiva, uma benção, um milagre: A maternidade!
Maternidade esta, que está na possibilidade de gerar vida... Pois todas as mulheres podem ser geradoras de vida! Pois todas as mulheres podem ser mães!
E este gerar trás um carinho e um querer que eleva o ser humano ao Divino, afastando-o por vezes do rés do chão, alçando-o ás estrelas.
Não são raros os esforços sobre-humanos de mães em prol de seus filhos, por mais que a mídia torne corriqueiros relatos outros que desabonariam esta minha afirmação... Não me cabe julgar comportamentos que não compreendo, que fogem ao meu entendimento, embora me calem fundo ao coração!
Fico com o que sinto!
Mães são presentes que a vida nos oferece, presentes que em algum momento não compreendemos, noutro mal dizemos, ou relegamos para depois...
Mães são luzes que nos ensinam o caminho! E quando não aprendemos, forçam-se a muito custo em ser as luzes de balizamento para o nosso caminhar, titubeante, inseguro!
Mães são mistérios, difíceis de desvendar!
Mães são o que são!
Àqueles que não as tem ao seu lado, permito-me comentar, vocês as tem no coração, e não existe melhor lugar para morar... Corações são muitas vezes as portas que dão ás nossas almas!
Àqueles que têm problemas com suas mães, permita-me comentar, quem não tem problemas com as pessoas próximas ao nosso caminhar?
Por fim, em mim, ecoa um pensamento, um sentimento, que não se dissipa:
Muito de nossos problemas, de nossas brigas, desentendimentos, se dão porque não temos a noção do que significa a maternidade!
E penso que também algumas mulheres também parecem não saber!
E assim, nos fazemos duros, inflexíveis, temerosos em acolher, em amar...
Ouso pensar, que no geral, nossa humanidade é carente da experiência da maternidade, embora gerar nós saibamos...
Fica aqui esta mensagem!
Mensagem que nasce em uma mente, em um coração, gratos aos esforços que foram empreendidos para a minha construção...
Se não tivesse tido Mães, eu não estaria aqui!
E feliz, e contente, por saber que alguns homens tem em si, a seu modo, traços maternais... São meigos, amorosos, Pais!

Edvaldo Rosa...


EU TE PROCURO EM MIM...

Ainda agora eu te procuro...
Procuro a tua alma,
Os teus pensamentos,
Os teus sentimentos!
Procuro o som das tuas palavras,
O teu cheiro!
O gosto dos teus lábios,
O calor dos teus beijos...
As pegadas de teus dedos
Que deslizaram por meu corpo inteiro,
Descobrindo os meus segredos,
Despertando-me desejos...
Fazendo-me tão feliz...
Eu te procuro... Em mim!
Procura insana
Com gana de não perder-te!
Desejo insistente em reter-te em mim...
Mesmo nestas horas que dormes a meu lado,
Saciada do amor,
Que em/ por nossos corpos sentimos fluir!
E a face que olho,
Envolta nas madeixas de seus cabelos
Parece em paz... Parece sorrir!

Edvaldo Rosa
Texto da Antologia Escritores Brasileiros
E autores em língua Portuguesa...