Cadeira 23 - Veraiz Souza


Veraiz Aparecida dos Santos Souza, nasceu em Limeira/SP, Brasil, em 20/4/1948. Na Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUCC, cursou Biblioteconomia e na Universidade de Mogi das Cruzes, cursou Filosofia. Fez ainda outros vários cursos : italiano e inglês, oratória e expressão corporal, teatro com renomados atores e diretores de São Paulo e de Limeira. Trabalhou em algumas peças teatrais, atuando como atriz e diretora onde foi laureada com troféus e diplomas de Honra ao Mérito. OBRAS PUBLICADAS: Retalhos de uma vida - poesias, Verso Amigo I e Verso Amigo II - Antologias poéticas, 2014 e 2016 respectivamente. Exerceu a profissão de professora por longos anos no Ensino Fundamental e como Bibliotecária na Biblioteca Municipal de Limeira. Escreve desde os oito anos, onde recebia Menções Honrosas por seus escritos, na época, Dissertações e Descrições. Atualmente produz poemas, contos, crônicas e reflexões filosóficas entre outros. Mas o que gosta mesmo é de escrever POEMAS. Faz parte do Grupo de Poetas, SOLL-Sociedade Literária Limeirense, do qual foi presidente de 2012 a 2015.



Viajante estelar - Veraiz Souza

Olho a Lua e vejo-a resplandecente
As estrelas em baile, cheias de luz
As nuvens em formatos diversos
Fazem do céu, um lindo tapete mágico.
Rodopio, quero viajar nesse tapete
Ir até as estrelas e de lá
Procurar-te com luzes infinitas.
Não te vejo aqui embaixo
Mesmo na claridade, do Astro Rei.
Estou entre sombras, sem saber
Para que lado correr.
Tua voz em meus ouvidos
Clamam por mim
Não sei onde estás. Não sei para onde fostes.
Quero voar nesse tapete azul
Enfeitado de estrelas, para te procurar
A Lua com seu brilho, me ajudará
As nuvens, de mansinho me envolverão
E o maior dos astros indicará
Em que ponto deste Universo tu estás
Por seus raios chegarei até onde te aconchegas
Junto a ti, ficarei eternamente!


AMOR DELIRANTE - Veraiz Souza

Acorrenta-me!
Prenda-me!
Sufoca-me com teu beijo
Somente assim, ficarei quieta. Inerte.
Para não gritar ao mundo, a força desse amor.
Amor, grande como o Universo
E com tudo o que nele há.
Seria o grito mais forte e mais feliz
Que até as estrelas se assustariam
Porém...
Brilhariam com todo o seu esplendor
Festejando esse grande amor!


Sol, mágica da vida - Veraiz Souza

Vejo no horizonte, o nascer do Sol
Lindo, com seu brilho e força
A tudo aquece e dá cor...
Mar, areia da praia, matas,
Casas, calçadas, varandas, gente...
Nas ruas
Vejo a vida desabrochar,
Vejo movimentos
Barulhos de carros que vão e veem.

Dançam, bailam
Palavras em meu pensamento
É a vida que não para.
Giram o mundo e as palavras
Brotam versos que não se calam
Enquanto o Sol faz seu caminho
Vejo o poeta dançando com as letras.

Mágica do Sol? Mágica da Vida?
A POESIA É MÁGICA
Que explode dentro do poeta!

Poema do livro Retalhos de uma vida-Veraiz Souza


Partida - Veraiz Souza
Vejo-te sorrindo
Em cada sonho
Mas logo te afastas
Dizendo-me:
-Até breve amor, até um dia.
Que dia?
Se para mim
Ele não existe sem ti
Meu amor fique aqui
Pertinho de mim
Sem ti não sei viver.
Perco-me
Adormeço...
Sonho entre as flores.


Fuga - Veraiz Souza

Hoje o Sol não se abriu para mim
Não o avistei, sonhos e angústias
Estavam comigo
Fiquei escondida em meu mundo.
No silêncio de minh'alma
Meu Ser escureceu
Curvei-me ao apelo da dor.


NÃO PENSEI - VERSO LIVRO

Não pensei que fosse assim
Sua imagem em mim
Firme...Dominadora...
Porém distante.
Mesmo assim, vou pelas ruas
Meu coração me guia
E eu canto.
Sei que minha voz
Vai com o vento
Chegará e fará
Morada em seu coração.
Acolha-a com carinho
Depois devolva-me
Para que meu coração
Prossiga entoando
Canções de amor
Só para você!

Do livro: Retalhos de uma vida de minha autoria.


AFETO - Veraiz Souza

Ah, o primeiro abraço,

O primeiro carinho.

Não vou esquecer, jamais!

Timidamente, em teus braços,

Senti teu coração acelerado.

Timidamente, em teus braços,

Com carinho me beijaste!

Meu olhar, de encontro ao teu,

Guiou meu coração para o infinito,

Lá onde todos os anjos,

Num musical suave

Abençoa os enamorados

E o encantamento do amor

Fica visível a todos.

Vem amor meu

Para os braços meus

Cansados de esperar

Por outros abraços teus.


Quando o amor acolhe - Veraiz Souza

Vi o Sol brilhar esta manhã

As borboletas livres no céu

Desenham e pintam as cores

Maravilhosas do Arco-Iris

Gaivotas dando rasantes

Na praia, buscando seus

Peixes, agora seriam

Apetitosos alimento

O mar calmo, azul, fazia

Disputa com a cor do céu

Dando-me sentimento de paz

Só tinha de pensar no amor

Que estava no meu coração

Era tudo o que me trazia ali.


O Eu Senil - Mãos

Puseram-me em uma cadeira baixinha
Fiquei ali, olhando as paredes
Os quadros, a cortina que balança
Parece dançar, com a música do vento
Vi muitas formigas subindo e descendo
Ah! Tão bonitinhas, me alegram, mas...
Assustam-me quando são muitas
Água caindo, molhando o chão´
Ouço o barulho
Está tudo brilhando, molhado
Tenho medo de muita água
-Vem alguém enxugar aqui!
Tento gritar, mas a voz sai baixinha
Lentamente abaixo meus olhos
Vejo mãos enrijecidas, dedos longos
Veias que formam desenhos
Nas unhas, esmalte....
Esmalte vermelho é o que gosto
Mas...porque está nesses dedos?
Minhas unhas ficavam lindas
Nos dedos roliços e longos
Com esse esmalte vermelho
Essas mãos magras e feias
De quem são?
- Amor, amor....alguém pegou meu esmalte vermelho!


Não ´pensei

Não pensei que fosse assim,
Sua imagem em mim
Firme...Dominadora
Porém distante
Mesmo assim, vou pelas ruas
Meu coração me guia
E eu canto
Sei que voz ao vento
Chegará e fará
Morada em seu coração
Acolha-a com carinho
E depois devolva-me
Para que meu coração
Prossiga entoando
Canções de amor.


Tuas mãos - Verso Livre - Veraiz Souza

Tuas mãos...

São mãos que me cercam

Guardam-me...

Das angústias e dos fantasmas

Que me veem á noite

Espantam meu sono.

No escuro fico, com

O frio de minh'alma

A espreitar pela janela

Esperando-te, que...

Só me chega, em meus

Próprios pensamentos.

Para não te perder

Deito-me calmamente

Na cama, que já foi nossa

Seguro silenciosamente

Tuas mãos, imaginariamente

Coloco-as em meu peito, e...

Durmo, para contigo sonhar

Para não te perder

Pelo menos em meus sonhos.

Tuas mãos...

São as mãos que me cercam.

Autora - Veraiz Souza