Cadeira 27 - Admilson Paulo Antonio Faria


Assina como Admilson Poeta Magnata ou Poeta do Amor O poeta/declamador, nasceu em 04/03/1997 É Membro do Movimento Lev' Arte Sector Viana Fundador da Academia Mundial de Cultura e Literatura ( AMCL) Colaboradore da Revista OMNIRA Apaixonado pela arte de escrita, escreve Poesia, Prosa e Contos Já teve seus trabalhos nas Revistas: Brasileira OMNIRA, evista Angolana (Kamba), Revista Arte Solta (ideaslizador), Revista otchilongo, Revista Portuguesa eis FLUÊNCIAS Antologias: "LOGOS" DA FÉNIX, Antologia Mundo dos Sonhadores, Antologia Aforismo e Poesía Grupo intercâmbio Internacional dos Escritores de língua Portuguesa Onde e uma dos Administradores. 



Eu Vou Partir
A procura do meu bem
Decidir deixa a mala da solidão
Eu vou partir para bem longe
Quero esquecer tudo
O amor não correspondido
As cartas de amor sem resposta
Vou partir
Perfiro ir para bem longe
Não quero mas viver nesta época
Cheia de lágrimas
Eu vou partir
Quem sabe um dia
Encontre alguém para amar
Alguém que possa limpar minhas lágrimas
Alguém que acorde as meia noite só para mim dizer eu te amo
Por isso e que vou para bem longe

Vou partir

Já não quero ser ignorado
Acho que ninguém quer saber de mim

Vou partir a procura de um novo amor
Quero dançar com alegria no rosto
Quero encontra alguém que preencha o vazio do meu coração
Porque a dor deixou-me sozinho
Deixou lacunas em meu ser
Deixou página em branco
Vou partir não quero ficar
Aquí neste bairro cheio de saudade

Vou Ir para o infinito desconhecimento
Apagar o meu trilho da mente
De quem tem o sentir dormente
Para não viver o inferno do amor

Vou partir numa nuvem de solidão
Livrar-me desta livre prisão
Ir comigo e sem nada levar
De lágrimas e dores me zerar
Onde a vida possa me elevar
Ao paraíso do novo cogitar....


De hoje em diante
Serei mudo
Para não sofre
Serei surdo para não chora
De hoje em diante ser gago
Para não andar com a solidão 


ADEUS A MINHA MUSA.
....

ADEUS MINHA MUSA
Ela largou- me
Sem pensar no nosso amor
Nos nossos sonhos não realizados
Ela foi tudo acabou
Ela foi meu coração dói
Ela me deixou para trás
Com muito amor pra dar
Ela disse adeus
Com a marca do seu batom
Agora o que hei de fazer sem ti
O que será da minha vida sem ti
Partiu meu coração
Ela me deixou na mão
Hoje eu grito
Hoje sou insano sem cura
Adeus minha musa
Constantes sentimentos me afligem
Nessa insana maneira de viver
Sem a sua presença a me aquecer
Planos que se foram com o vento
Levando junto à sua linda figura
Vivo sem saber o que viver
Você me disse adeus
No meu rosto a marca do seu batom
Desiludido sem saber o que fazer
Você não soube o meu amor valorizar
Hoje eu grito
Nessa insanidade sem cura
Adeus minha musa...


TEMPO

Levei muito tempo
Para perceber que tú
Não valis nada
Cheguei a conclusão
Que não mereces meu amor
.Hoje eu não durmo.
Sem dizer que não valis nada. Cheguei a conclusão
Que não
És a minha musa inspiradora
.
Levei muito tempo
Para perceber que tu
Não vales nada
Cheguei a conclusão
Que não mereces meu amor
Desci na corada do tempo
Procurando explicação
Encontrei uma flor morta
A flor da ilusão
As pedra que me atiraste
Com elas fiz meu castelo
Edifiquei meu amor
Porque o que sentia por ti
O tempo e o vento levou
Demorei a perceber
Que tu não merce o meu amor
Viva teus dias de farras
Nos braços de outros amores
E quando tudo acabar
Nem venha me procurar
Porque mataste meu amor
Meu coração levou tempo
Pra te esquecer
Hoje pertence a uma nova flor

Admilson Poeta Magnata
18/06/2016


Me perdi no teu olhar ♪
Que atraente são os seus olhos
Que me hipnotizam
Cada vez que os vejo
Brilhando feito estrelas
Foi hoje, neles que me perdi.
Perdi a vergonha
Quando os vi
Perdi o medo que sentia
Perdi o diamante que brilhava
Perdi o ouro que trazia
Hoje sim
Eu perdi o que não sentia
Para os seus olhos
Que deixam-me, alucinado
Eu, me perdi nas tuas palavras
Procurando por ti
Nos meus versos
Nos meus poemas
Nas minhas rimas
Mas não te encontrei
Eu chorei, eu gritei
Feito louco
Dei conta que
Eu, estou perdido.
Me perdi no teu olhar
Já não sei onde estou
Se estou em Viana
Sei lá eu, onde estou 


Deixa-me sonhar

Apague a lâmpada e feche a porta
Deixa-me dormir
Quero poder flutuar daqui pra fora
Deixem-me descansar
Para esquecer o seu olhar
Deixa-me como estou
Quero falar sozinho do que sou.

Sem você já posso sonhar
Então deixa-me em paz
Vá para bem longe da minha visão
Quero esquecer-te para sempre
Vá saia do meu mundo de solidão
Leva o que você quiser
Mas não fiques mas aqui
Quero poder sonhar sem lamentar.

Se for um sonho
Então deixa me sonhar

Então deixa só

Se tudo que passamos
Juntos for um sonho
Deixa-me
Deixa-me sonhar

Leva tudo que quiser
Mas deixa-me em paz
Por favor
Mais não leva
O meu coração, os meus poemas.

Liberta-me
Desta melancolia
Deste mundo sem cor
Desta palavra lançada ao mar
Desta incerteza
Deste palácio da saudade
Onde o presidente é a perversidade
A primeira dama é a lamentação de viúva.

Deixa-me sonhar
Com os seus olhos
Deixa-me me sonhar

Por favor
Não quero ter pesadelos
Delírios, alucinações
Deixa-me sonhar com país das maravilhas
Com a terra do nunca

Ai escreverei
Teu nome nas estrelas
A fauna e flora irão de contempla sua beleza
Com mas delicadeza que à.

Só não me a pressione
Deixa-me livre como pássaro
Para poder voar ao mas além
De nossos sonhos projectados
Vá lá, deixa-me sonhar.

Admilson Poeta Magnata
Alerrandro del Monte
31:01:2017


Carta de amor
Envieste 23 carta de amor
Mas tive a resposta
Mesmo assim escrevi outra carta de amor
Com a minha caneta azul
Eu descrevo tudo que sinto por ti
És uma deusa do facebook
Do amor eu não mim envergonho
O destino e que zomba de "mim
Brinca com meus pensamentos
com os meus sentimentos.
endurece como se tivesse molhados um saco de cimento.
mas eu tenho apenas um conhecimento .
E uma noção.
que as cartas que te enviei exprime o que vem do meu coração.
é com muita emoção
compaixão
e sensação que numa das cartas botei uma canção.
para ti minha bênção.
são 23 cartas de amor.
muita coisa pra exprimir .
Leia que nunca mas vas parar de sorrir.
e vas esquecer o que é iludir.
se tu assim dicidires.
são 23 cartas de amor. 


Recado de um amor para um coração de ausente
Olá como vai
Por onde andas
O que tens feito por ai
Envio te este bilhete
Com muito amor e carinho
Nesta caneta azul
Eu descrevo
Tudo que um dia
Foi meu
Tudo que o que sinto por ti
Eu quero dizer te
Que já não consigo
Para de pensar em ti
Quero saber o que se passa contigo
Porque foste embora
Sem antes falar comigo
Nem deixar uma carta de amor perfumada
Pelo menos um bilhetinhos
Quem sabe um dia
Eu mim encontre por ai contigo
Ai saberás que eu continu
A ser exclusivamente teu
Que a minha alma almeja
Beijar seus lábios com beijos de amor
Foste para bem longe
Não sei o que passa
Se estás a fazer o que
Se estás com quem
Estas dor de um amor não correspondido
Eu não sei
Vou escrever
No meu diário
Tudo o que sinto
O que vejo
O que acho
O que oiço
Recados de um amor para um coração ausente
Eu não fui
Avisado que amar faz você chora
Gritar feito louco
Por favor não se ausentes mas
Para não deixar meus olhos embebido em lágrimas 


Wapiyo ( onde estás)

Onde estás meu amor.
Diz me
Onde estás minha rainha
Onde estás para enxugar
As minhas lágrimas
Onde você está
Diz me
Por favor!
Eu irei para lá
Tenho tantas palavras
Para té dizer
Minha vida sem você
Jà não tem sentido
Sem você meus poema
Já não tem euforia
Minha música jà não tem melodia
Por favor"
Volta para mim
Eu té imploro
Te suplico
Onde você estar
Quero ser pintor más não
Tenho pincel
Eras minha fonte de inspiração
Andei no jardim da paixão
Te busquei em todas as estrelas
Fiz do infinto meu aconchego
Onde estás
Mulher
Princesa
Rainha
Jasmim
Beija flor
Sou um beija-flor sem ninho
Voando a ti procurar
Onde estás
Pôr favor diz me
Moro nas asas do destino
Onde tudo é incerto
Ando nas curvas da incerteza
Eu descobri que te amo
Descobrir que és minha
Razão de viver
Es minha alegria
Es meu sol
Es brilho dos meus olhos
Me olho no espelho
E não me
contro
Deixo a saudade nos raios de luar
Por favor diz me
Onde estás
Estou a mergulhar
Nesta solidão
Nesta lágrimas
Neste silêncio
Neste desilusão.
Nesta decepção
Nesta saudade
Nesta nostalgia
Onde o silêncio é meu eterno amar
Por favor me diz
Onde estás
Irei ao teu encontro
Levarei comigo
Poemas
Versos
Estrofes
Por favor"
Diz me onde estás!

Admilson Poeta Magnata


♪ Diz pra mim ♪
Diz o que sentis quando olho pra si
Não pensa que é um desafio
Só quero poder enxergar o seu sorriso
Quero tornar o nosso amor em um vicio
Diz pra mim o que pensas sobre isso.
Te amo como no paraíso
Nunca estive lá mas sei que é muito lindo
Vou te amar como nunca pude valorizar
Seu amor digo-te já não vou banalizar
Te amar, faz-me viajar
Diz pra mim o que estás por ai a imaginar
Se já estou a que disposto a me casar
Querida, diz pra mim
Se vás me aceitar.
Wapiyo
Diz o que se passa contigo
Meu amor
Diz o que sentes por mim
Em cada minuto
Eu sinto falta do teu toque
Teu cheiro
Teus beijos
Teu olhar
Teu jingar
Tuas palavras
Tuas carícia
Teu sorriso
Diz o que se passar
Ou será que ès dançarina da república checa
Vendedora de lágrimas
Diz o que se passa
Dentro da sua cabeça
Diz porque não
Não posso
Contar
Os minutos
Os segundo
os dias
As horas
Será que não posso
Chamar te de meu amor
Minha princesa
Minha raínha
Diz-me
O que faltou
Para ires embora
Sem dar um a deus
Nem deixaste um bilhetes
Diz me o que achas de mim
Diz me se não lembrar das nossas promessa
Diz me o que fiz em vão
Se não deite o meu coração
Se existe outra razão
Para tu agir assim
Diz o que fiz
Se eu não te fiz feliz
Se morreu a nossa paixão
Eu só quero uma explicação
Eras a melhor mulher
Eras minha orquídea
Meu jasmim
Meu beija flor
Eu fiz de ti
Minha melodia
Meu rítmo
Meu semba
Meu samba
Minha taraxinha
Meu fado
Diz prá mim
Eu só quero uma explicação
Diz me
O que faz agora
Que não estás ao meu lado
Diz o que eu vou dizer
Quando a solidão bater a porta do meu coração
Sei lá eu
Diz prá mim
Oiço a sua voz a distância
Me apaxonei pela sombra do seu corpo
Choro por ti em noite de lua cheia
Autor: Alerrandro del Monte
: Admilson Poeta Magnata
22:10:2016