Cadeira 38 - Carmen Haddad


Maria Carmen Haddad Martins Nascida em 28 de maio de 1955 Cidade de Tietê SP que assina suas obras com o nome artístico: Carmen Haddad

Nasceu em uma pequena cidade do interior de São Paulo. Neta de libaneses ( paterno) espanhol e italiano ( materno).

Meus pais eram pequenos comerciantes

Estudei em escolas públicas.

Fiz faculdade e formei-me em Matemática, habilitada para física, Química e ciências. Faculdade de filosofia Ciências e Letras Nossa Senhora do Patrocínio de Itu

Ainda jovem passei no.concurso do Banco do Brasil, onde trabalhei 30 anos. Mudei-me para Niterói RJ. Onde resido há 32 anos. Minha Cidade do coração.

Sempre gostei de escrever e ler muito. A POESIA entrou em minha vida de forma definitiva há 2 anos.

Participei De 2 antologias, fiz um livro solo. Estou a caminho de publicar o segundo. Ganhei premiações em alguns concursos de POESIA. Atualmente estou participando de um concurso à nivel Internacional. Página: Sicilnews. Página do jornalista italiano Ross Odino

Participo de muitos grupos de poesias. Interagindo muito bem com todos. Participei meses da AVL. Retirei-me por motivo cirúrgico.

Amo versejar a vida em todas as suas dimensões. Através da poesia posso levar alento às almas mais precisadas. Escrevo com alma e distribuo-as como pétalas ao vento, para que sejam espalhadas por todo Universo. Esse foi um dom Divino que recebi. Portanto o faço com muito amor e carinho.

Deixo aqui meu fraterno abraço a todos que formam essa grande Academia.


Um passeio em noite estelar

Quando eu passeava entre as estrelas, uma delas perguntou-me:
O que fazes aqui em nosso habitat, já que moras em um planeta azul, tão magnificamente belo.
Respondi-lhe:
Minha querida e brilhante estrela que me encanta com sua luz tão intensa.
Estou aqui a lhe responder.
Eu ando por aqui, sempre que me é permitido.
Ao contemplar a magnitude da lua, a harmonia das estrelas, o luar refletido, OS pontos mágicos ainda desconhecidos dessa esplendida galáxia, me leva a refletir.
Desprendo-me do planeta azul, uma das mais belas criações de Deus e venho me juntar à vocês, pois preciso de paz.
Lá abaixo, pairam nuvens negras, turbulências, crueldades, desarmonia, inveja, ganância, mentiras, roubos, ostentação, falta de humanidade.
Nesse planeta azul, de beleza ímpar, co-habitam seres desprovidos de alma, de AMOR, de sentimentos nobres.
Lá existe uma escravidão.
Onde somos comandados por uma grande indústria de futilidades que tornam as pessoas soberbas.
Lá existem irmãos caídos em chão frio nas gélidas noites de inverno.
Crianças sem comida, escola, educação.
Lá os hospitais não conseguem atender a todos.
E muitos morrem nas filas de espera.
As guerras são muitas, os interesses daqueles que detém o poder, geralmente é para si próprios.
Eu caminho pelas ruas e assisto as desventuras de um povo tão sofrido, tão sem metas, tão perdido.
Então minha linda estrela, eu venho até aqui para recarregar minhas energias.
POIS lá estou em missão e preciso ajudar meu planeta.
Não quero vê-lo destruído.
Sei o quanto vocês dão beleza à ele, com suas luzes deslumbrantes, com o luar da lua irmã.
Como o amigo sol, que nos aquece.
Assim como as nuvens que nos dão suas águas para o solo produzir seu alimento.
E tudo vocês fazem por amor.
Então aqui estou a agradecer por tudo que recebemos.
E pedir perdão por tanta falta de sentimentos no coração do homem.
Que recebeu de Deus essa linda moradia, mas a cada instante a destrói até tornar ruínas.
Benditas luzes que brilham para nós

Bendito luar que ilumina.
Bendito sol que nos aquece.
Bendita chuva que desce a molhar o solo.
Diante de tal esplendor, peço perdão.
Perdão por tantas iniqüidades.
E peço-lhes, permitam-me que eu possa aí fazer meu passeio, para renovar meu espírito e minhas forças.
Amém!!!