Cadeira 91 - Roberto Franklin


Roberto Franklin é poeta brasileiro, autor de trinta livros recheados de pensamentos frutos do silêncio de sua meditação, da saudade, de suas dores, de perdas e de muitas emoções. É movido pelo amor, nas mais diversas formas, pela sua família, amigos e lembranças, os quais são fontes de inspiração para seus poemas. Vive o presente intensamente, sem esquecer jamais do passado. Acredita que a beleza da vida está nos pequenos detalhes: o sol que nasce a cada dia, a companhia da família e amigos, o amor sentido em um abraço, um beijo ou um simples olhar. Crê no ser humano, no amor e acredita que Deus é fonte de vida e reabilitação de qualquer ser. 

Roberto Franklin Falcão da Costa, ou RobertoFranklin, como gosta deser chamado, nasceu em 16 de Janeiro de 1955, em São Luís do Maranhão. É odontólogo de profissão, formado pela Universidade Federal do Maranhão.Apaixonado por sua esposa Luciane Duailibe da Costa, foi abençoado pela graça de ser pai de quatro filhos e é avô "coruja" declarado de Lara, Sophia, Laís, Júlia, Theo e Nicholas. É filho do Dr. Franklin Camões da Costa de quem herdou o amor, a bondade e a tolerância, mas também é sobrinho-neto do grande poeta Vespasiano Ramos, cujo centenário de morte aconteceu em Porto Velho, Rondônia, onde o poeta morrera quase esquecido; é Roberto primo de segundo grau de Franklin de Oliveira, um dos maiores críticos literários do Brasil de todos os tempos.

Incentivado pelo seu irmão mais velho, Tomaz de Aquino Falcão Braga, escreveu seu primeiro poema "Retorno", publicado em seu primeiro livro lançado em 2015 com o título de Todos os Sonhos. Nesse poema, Roberto Franklin se refere ao passado, aos amores e sonhos ali deixados. "Retornarei, um dia, ao passado distante, num lugar onde deixei amor, sonhos, pecados e súplicas." Transformou em realidade a sua antiga vocação poética com o primeiro livro editado e publicado: "Todos os Sonhos" - poesias, 2015. Fez sucesso, o que o animou a publicar outros livros recheados de lirismo amoroso e familiar, que é a marca registrada da sua pena poética. Além de "Todos os Sonhos", de sua paixão pela poesia surgiram as seguintes publicações: Além da Esperança - poesias, 2016; Tuas Mãos - poesias, 2016; Tempo de Amar - poesias, 2016; Amor Sempre - será lançado no segundo semestre.; além de participar das Antologias: Platinum VI, VII, VIII, IX, X, XI, XII, XIII, XIV, XV, XV, XVI, XVII, XIX, XX, XXI, XXII, XXIII e XXIV - poesias & textos, 2016 da Editora Bookess. Atualmente participa do projeto DOUCE POÉSIE, que está na sua segunda edição. Como experiência internacional, participa também do Grupo Souespoeta em Portugal, sendo coautor de três antologias: - Nau da Lusofonia, lançado em Março 2017;- Terra de Poeta, lançado em Julho 2017;- A raiz da Poesia, será lançado em Setembro de 2017;

Atualmente é membro da Academia Mundial de Literatura e Cultura ocupando a cadeira de número 91, tendo como patrono o conterrâneo Odylo Costa Filho.



Corpo desnudo

Esse corpo desnudo que me fascina.
Essa pele morena que me encanta.
Esse perfume próprio que tens, acusa desejo.
Essas curvas desejosas que me seduz.

Rastros de pecado que um dia toquei.
Rastros de desejo que um dia amei.
Esse corpo desnudo que me leva as trevas.
Sinto a chama do pecado ao te tocar.

Mas a sede de tê-la,
Leva-me ao paraíso.
Pois somente anjo como você
Sabe mostrar-me o caminho.


Sempre você

Até hoje na lembrança estás aqui.
Até hoje teu perfume me acompanha.

Até hoje sinto o calor do teu corpo.
Até hoje sinto tua pele.
Até hoje sinto o teu sabor.
Muito estranho essas sensações.
Muito estranho o que sinto.

O tempo passou, mas as lembranças não.

A sensação de estar com você aqui na minha frente.
Ainda está muito viva no meu pensamento.
Não sei mais o que te diria...


Acolhe-me

Acolhe-me nos teus braços.
Guarda-me no teu pensamento.
Acalenta-me com teus beijos, abraça-me.
Sussurra palavras de amor, acaricia-me.

Se a tenho, alegro-me.
Se te perco, choro.
Para que eu tenha a vida, és necessária.
Não saia, não fujas, vem, apresenta-te.
De perto de mim nunca saia.

Venha! Ao despir-se,
Quero encontrar tua pele sedosa.
Quero sentir o calor do teu prazer.
Quero sentir a plenitude do teu amor.

Roberto Franklin Falcão da Costa
Amor! Sempre... Lançamento segundo semestre
"Direitos Reservados"


Vida Vazia

Noites em claro, dias inúteis,
Eis minha vida, a procura de tudo encontrei o nada.
Vida vazia, pensamento vago,
Olhar disperso, nada, nada encontrei.

Fuga, desespero, angústia,
Tudo é assim sem teu amor.

Já não procuro mais,
Sofri muito
Com o impossível,
Já que o possível não me interessa.

Frio, escuridão,
Necessito mudar, levanto saio a procura,
Andei, implorei a verdade é que não quero.
O que quero, somente você.


Teus olhos

Olhos inquietos, esperançosos, carentes.
Parecem falar, gritar, procurar por um amor.
Olhos que não falam e os transformo em poesia.
Olhos que procuram resposta ao que o coração necessita.
Eles procuram: amor, ternura, carinho.
Amizade, vontade, falta de alguém.
Esses olhos carentes...
Esses olhos sempre a procura de algo.
E eu estou aqui... sempre a espera desse amor.
Para receber e ter o prazer da tua vontade.
Estou aqui...sempre a espera de um olhar.

Roberto Franklin Falcão da Costa
Inédita - 26/05/2007
" Direitos Reservados "


Mais de um amor numa vida
É muito fácil de ter
A dor de amor é esquecida
Talvez nem chegue a doer
Mesmo se o fim é tristeza
Vazio no coração
No fim só fica a beleza
De uma bonita paixão
E embora o amor destruído
E o tanto que se sofreu
O tempo não foi perdido
A gente é que se perdeu

Mário Lago


RETORNO

Retornarei, um dia,
ao passado distante,

num lugar onde deixei
amor, sonhos,
pecados e súplicas.

Retornarei, um dia,
e tentarei resgatar
tudo que lá deixei,
tudo que lá sonhei,
como o meu primeiro amor...

Retornarei, um dia,
e lutarei para resgatar o que
um dia deixei.

Retornarei e farei com que
se concretize, e que possa ser
real o passado que um dia deixei.


Saber escutar

Falo o que vem do coração.
Penso o que ele me faz pensar.
Escrevo o que acalenta minhas noites.
Na solidão dessa noite,
Um anjo como você me fez companhia.
Protegeu-me dos sonhos terríveis.
Fez-me acreditar no amor.
Fez-me sentir teu prazer.
Fez-me descansar nos teus braços.
Senti teu pulsar, correr teu corpo.
Explorando tuas formas.
Embalar-me nesse colo aquecido.
Com todo esse amor.
Obrigado coração por ter te escutado.
E viver somente desse amor que me sustenta.


PARA MAIS UM GRANDE PRAZER...

Vem, deixa-me falar
bem perto, em segredo, só a dois...
Não fales, fecha os olhos...
Queres mesmo saber?

Sou teu, sou teu piso,
sou teu céu, sou teu amparo,
sou teu complemento,
sou teu, sou tua luz...

Não parta, fique...
O dia está chegando, os raios de sol
brilharam novamente e abriram o teu ser.
Vem, te entrega...

Agora diz o que quero escutar...
Fala em sussurros, o que quero escutar...
És minha? Então te entrega
a mais um grande prazer...


Pergunta ao tempo

Ao tempo passado pergunto:
O que representaste para mim?
Meu amadurecimento, meus sofrimentos,
Abandonos, injúrias, decepções,
Amores e desamores, angústias.
O tempo passado muito singelo respondeu:
Tua formação, tua inspiração.
Represento tudo o que és hoje.
Então me agradeça.
Se não passasse por tudo, se não vivesse tudo.
Se não sofresse bastante.
Talvez não fosse o que és e tudo que representa hoje.

Roberto Franklin Facão da Costa
Amor! Sempre... 2017
Direitos Reservados
ISBN: 9788544805244


VIÇO DO PASSADO

Mas uma vez me entrego ao passado
E dele retiro o viço que me alimenta.
Sempre ele e por ele, é que ainda vivo.
Recordações, amores, desilusões, perdas,
Isso foi o que me restou.
Sofro, sentindo a tua ausência...
Se no passado a tua presença
Me alimentava a vida, hoje, a tua ausência,
Envenena-me e entristece os meus dias.
Queria muito tê-la ainda aqui...
Tua imagem, ainda presente,
Traz-me um conforto que me alegra;
Tua imagem, ainda presente,
Dá-me a força para continuar forte.
És ainda presente, és ainda viva,
Superaste o tempo...

Roberto Franklin Falcão da Costa
"Além da Esperança " 2016
Direitos Reservados
ISBN: 9788544803554


Desculpas

Pelo caminho que passara,
Notei que as pedras que olhava,
Estavam umedecidas,
Não pelo orvalho da madrugada
Mais sim pelas tuas lágrimas derramadas.
Pelos caminhos que passara
Notava que a mesma atmosfera
Que pela manhã exalava o perfume
Das rosas, agora sentia-se tristeza.
Não acreditei que cheguei
A te fazer sofrer, voltarei,
Quero enxugar esse pranto,
Quero transformar esse tédio
Em alegrias que somente você
Sabe transmitir, quero pedir-te perdão,
Não quero mais ver-te sofrer,
Quero devolver-te esse amor,
Compartilhar contigo
Para que juntos possamos
Novamente voltar a ser um só.

Roberto Franklin Falcão da Costa
Tuas Mãos
ISBN : 9788544805237
" Direitos Reservados "


Gavetas do passado

Revirando as gavetas do passado,
Encontrei fotos, caricaturas, visões.
Que um dia me foram presentes,
Que me fizeram feliz, que me acalentavam.
Que orientaram minha vida, que me abraçaram.
Sinto até hoje suas mãos, ora suaves, ora não. Olhos de amor e de reprovação
Deixei o tempo passar e ao abrir novamente
As gavetas do passado, não mais encontrei
Aquelas fotos que um dia tirei.
O amor paterno e materno que sempre senti.
O tempo passou, a vida passou, aqui ainda estou.
Com o amor e a saudade que o tempo deixou.